terça-feira, 31 de março de 2009

Caderno II

Ainda não tinha deixado aqui nenhum poema de Sophia de Mello Breyner Andresen. Hoje fui buscar este Caderno II...

Quando me perco de novo neste antigo
Caderno de capa preta de oleado
Que um dia rasguei com fúria e desespero
E que um amigo recolou com amor e paciência,

De novo se ergue em minha frente a clara
Parede cal do quarto matinal
Virado para o mar e onde o poente
Se afogueava denso e transparente
E a sonâmbula noite se azulava.

Ali o tempo vivido foi tão vivo
Que sempre à própria morte sobrevive
E cada dia julgo que regressa
Seu esplendor de fruto e de promessa.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Actores somos todos nós...

Hoje é Dia Mundial do Teatro. A mensagem deste ano, divulgada pelo Instituto Internacional do Teatro, é da autoria de Augusto Boal, dramaturgo e ensaísta brasileiro. Intitulada "Somos todos actores", pode ser lida aqui.

"Mesmo quando inconscientes, as relações humanas são estruturadas em forma teatral: o uso do espaço, a linguagem do corpo, a escolha das palavras e a modulação das vozes, o confronto de ideias e paixões, tudo que fazemos no palco fazemos sempre em nossas vidas: nós somos teatro!



(...)Actores somos todos nós, e cidadão não é aquele que vive em sociedade: é aquele que a
transforma!"

quarta-feira, 25 de março de 2009

Alguns conselhos...

"Nunca esqueça que existem quatro coisas na vida que não se recuperam :
*a pedra, depois de atirada;
*a palavra, depois de proferida;
*a ocasião, depois de perdida;
*o tempo, depois de passado.
1 - Dê mais às pessoas do que elas esperam, e faça-o com alegria.

2 - Case com alguém com quem você goste de conversar. À medida em que forem envelhecendo, o seu talento para a conversa tornar-se-á tão importante quanto os outros todos.
3 - Não acredite em tudo o que ouve; não gaste tudo o que tem; não durma tanto quanto gostaria.
4- Quando disser “amo-te”, seja sincero.
5 - Quando disser “sinto muito” olhe nos olhos da pessoa.
6 - Fique noivo pelo menos durante seis meses antes do casamento.
7 - Acredite no amor à primeira vista.
8 - Nunca ria dos sonhos dos outros. Quem não tem sonhos tem muito pouco.
9 - Ame profundamente e com paixão. Pode ferir-se, mas é o único meio de viver uma vida completa.
10 - Quando se desentender, lute limpo. Por favor, nada de insultos...
11 - Não julgue ninguém pelos seus parentes.
12 - Fale devagar mas pense depressa.
13 - Quando lhe fizerem uma pergunta a que não quer responder, sorria e pergunte: “Porque deseja saber?”
14-Lembre-se que grandes amores e grandes realizações envolvem grandes riscos.
15 - Diga “saúde” quando alguém espirrar.
16 - Quando perder, não perca a lição.
17 - Recorde-se dos três 'R': Respeito por si mesmo, respeito pelos outros, responsabilidade pelos seus actos.
18- Não deixe uma pequena disputa afectar uma grande amizade.
19 - Quando notar que cometeu um engano, tome providências imediatas para corrigi-lo.
20- Sorria quando atender o telefone. Quem chama vai percebê-lo na sua voz.
21 - Passe algum tempo sozinho e reflicta."

segunda-feira, 23 de março de 2009

Fim-de-semana

Na 6ª feira passada, duas turmas do 1º ciclo visitaram a Biblioteca e, a partir deste poema, fizeram um painel (foto 1) para decorar a "garagem" para a sessão nocturna de Poesia em flor, que o Rogério (foto 2), a Paula e o Paulo abrilhantaram com os poemas que escolheram dizer para saudar a Primavera e a poesia, que celebrou o seu dia no Sábado, dia 21.
Nesse Sábado era dia de jantar do Colégio, como já tinha referido aqui. E foi tempo oportuno para rever algumas caras...na 3ª foto que aqui deixo podem ver-me com 3 dos professores (Irene Escada, Manuel Tavares e Victor Fernandes) que tive a felicidade de conhecer quando andei naquela escola, à beira-mar plantada, e de rever no passado Sábado. Um belo fim-de-semana!


sexta-feira, 20 de março de 2009

Primavera

"Depois do Inverno, morte figurada,
A Primavera, uma assunção de flores,
a vida
renascida
e celebrada
num festival de pétalas e cores." (Miguel Torga)

E ela vai chegar às 11h44 minutos!!! É a Primavera...Mais logo, vou celebrar a sua chegada e o Dia Mundial da Poesia - 21 de Março - desta forma.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Estações de Poesia

O Dia Mundial da Poesia assinala-se a 21 de Março, a par do Dia da Árvore e do início da Primavera. Esta efeméride foi instituída na 30º Conferência Geral da UNESCO, que teve lugar em Paris, em Novembro de 1999.
Este ano, em Peniche, a data será mais uma vez assinalada, desta feita com o início de um Ciclo intitulado “Estações de Poesia”. A ideia deste ciclo é promover uma sessão de poesia no início de cada estação do ano, envolvendo-a no espírito de cada estação.
A primeira sessão - “Poesia em Flor!”- é já na próxima 6ª feira, dia 20 de Março, véspera do Dia Mundial da Poesia, e terá lugar na Biblioteca Municipal pelas 21h30.
As próximas sessões estão já agendadas para as seguintes datas:
- a 26 de Junho (Verão), pelas 22h00, “Verão que é poesia!”;
- a 2 de Outubro (Outono) cairão “Folhas de Poesia”;
- e a 8 de Janeiro de 2010 (Inverno) podemos afiançar que estará “a chover poesia!”.
Convidados estamos todos aqueles que apreciamos a arte poética ;)

sexta-feira, 13 de março de 2009

Cinema e teatro em Peniche

No âmbito do mês do Teatro, e da consequente homenagem a Eunice Muñoz, é hoje exibido no Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche o filme Manhã Submersa, inspirado na obra homónima de Vergílio Ferreira e realizado por Lauro António.Será às 21h30.
No próximo dia 27, Dia Mundial do Teatro, a companhia Urze Profissional de Teatro apresentará a peça Volta a Gil Vicente em 80 minutos, pelas 21h30, no Auditório do Stella Maris em Peniche.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Colégio do Atlântico

O post de hoje é especialmente dedicado a todos aqueles que estudaram ou trabalharam no Externato Altlântico, posteriormente designado Colégio do Atlântico.
O Restaurante Paraíso da Foz, no Alto Veríssimo, está a organizar um jantar para reunir professores, alunos e funcionários desta escola que, concerteza, marcou todos aqueles que por ela passaram, quanto mais não fosse pela paisagem maravilhosa que todos os dias se estendia à nossa frente.
Será no próximo dia 21 de Março, pelas 20h00, e o menu inclui entradas, sopa, prato de peixe e de carne, sobremesas variadas, bebidas e café. Os 20€ (vinte euros) a pagar incluem ainda animação musical ao vivo. Todos os interessados deverão ligar já para o Paraíso da Foz - tel. 262 709 490 - e pedir para falar com a Dominique (ela própria uma antiga aluna do CA). Entretanto, aos que lerem este post, pede-se que divulguem esta iniciativa. Inscrevam-se...vai ser bom rever algumas caras, como aconteceu aqui.

domingo, 8 de março de 2009

Amigo é Casa (II)

Tal como tinha desejado aqui, na passada 6ª feira fui até ao Campo Pequeno assistir ao concerto Amigo é casa! E foi em casa que me senti, tendo por anfitriãs Simone e Zélia Duncan no seu melhor, neste projecto a duas, que deve o seu nome à canção de Hermínio Bello de Carvalho e Capiba -um belo texto sobre a amizade- que hoje deixo aqui transcrito:

"Amigo É Casa
Amigo é feito casa que se faz aos poucos e com paciência pra durar pra sempre.
Mas é preciso ter muito tijolo e terra, preparar reboco, construir tramelas.
Usar a sapiência de um João-de-barro que constrói com arte a sua residência,
há que o alicerce seja muito resistente, que às chuvas e aos ventos possa então a proteger.
E há que fincar muito jequitibá e vigas de jatobá e adubar o jardim e plantar muita flor toiceiras de resedás, não falte um caramanchão pros tempos idos lembrar, que os cabelos brancos vão surgindo...
Que nem mato na roceira que mal dá pra capinar e há que ver os pés de manacá cheínhos de sabiás sabendo que os rouxinóis vão trazer arrebóis choro de imaginar! pra festa da cumieira não faltem os violões! muito milho ardendo na fogueira e quentão farto em gengibre aquecendo os corações.
A casa é amizade construída aos poucos e que a gente quer com beira e tribeira.
Com gelosia feita de matéria rara e altas platibandas, com portão bem largo que é pra se entrar sorrindo nas horas incertas sem fazer alarde, sem causar transtorno.
Amigo que é amigo quando quer estar presente faz-se quase transparente sem deixar-se perceber.
Amigo é pra ficar, se chegar, se achegar, se abraçar, se beijar, se louvar, bendizer.
Amigo a gente acolhe, recolhe e agasalha e oferece lugar pra dormir e comer.
Amigo que é amigo não puxa tapete, oferece pra gente o melhor que tem e o que nem tem, quando não tem,finge que tem, faz o que pode e o seu coração reparte que nem pão."

PS -E não é que o concerto terminou mesmo com a jura secreta?!?!

quinta-feira, 5 de março de 2009

Árvores

A propósito da belíssima Árvore da vida* que a D. Ida Guilherme idealizou e executou em renda de bilros (na imagem que ilustra este post), e que tive oportunidade de ver ontem ao vivo, aqui fica (mais) este POEMA DAS ÁRVORES de António Gedeão:

"As árvores crescem sós.
E a sós florescem.
Começam por ser nada.

Pouco a pouco se
levantam do chão,
se alteiam palmo a palmo.
Crescendo deitam ramos,
e os ramos outros ramos,e
deles nascem folhas,
e as folhas multiplicam-se.
Depois, por entre as folhas,
vão-se esboçando as flores,
e então crescem as flores,
e as flores produzem frutos,
e os frutos dão sementes,
e as sementes preparam novas árvores.
E tudo sempre a sós, a sós consigo mesmas.
Sem verem, sem ouvirem, sem falarem.
Sós.De dia e de noite.Sempre sós.
Os animais são outra coisa.
Contactam-se, penetram-se, trespassam-se,
fazem amor e ódio, e vão à vida
como se nada fosse.
As árvores, não.
Solitárias, as árvores,
exauram terra e sol silenciosamente.
Não pensam, não suspiram, não se queixam.
Estendem os braços como se implorassem;
com o vento soltam ais como se suspirassem;
e gemem, mas a queixa não é sua.
Sós, sempre sós.
Nas planícies, nos montes, nas florestas,
A crescer e a florir sem consciência.
Virtude vegetal viver a sós
E entretanto dar flores."
*Esta árvore é também uma homenagem da D. Ida a todas as mulheres, como pode ser lido aqui. E a prova de como se podem fazer trabalhos inovadores em renda de bilros de Peniche, sem desvirtuar as técnicas tradicionais.

domingo, 1 de março de 2009

É bonita, é bonita, é bonita...

Ontem fui ver Maria Bethânia. Cerca de duas horas de boa música brasileira, temperada pela belíssima voz desta artista que já conta quatro décadas de carreira. O concerto encerrou com chave de ouro, com o Coliseu a cantar em uníssono (O que é? O que é?) Eterno Aprendiz, composição de Gonzaguinha.

"Eu fico com a pureza da resposta das crianças
É a vida,é bonita e é bonita
Viver e não ter a vergonha de ser feliz
Cantar.. (E cantar e cantar...) A beleza de ser um eterno aprendiz
Ah meu Deus!Eu sei... (Eu sei...) Que a vida devia ser bem melhor e será
Mas isso não impede que eu repita
É bonita, é bonita e é bonita (...)"