quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Há músicas (muito) boas de ouvir! LIX

Quando ouvimos esta música sentimo-nos com um pezinho no Carnaval, mas a verdade é que ela é (muito) boa de ouvir todo o ano, 
sobretudo na maravilhosa voz de Maria Bethânia. 
A autoria é de Gonzaguinha e para além da melodia, vale pela letra, que é deliciosa!


"Viver e não ter a vergonha de ser feliz,

Cantar, e cantar, e cantar,
A beleza de ser um eterno aprendiz.

Ah, meu Deus! Eu sei
Que a vida devia ser bem melhor e será,
Mas isso não impede que eu repita:
É bonita, é bonita e é bonita!"

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Reticências

...é o título da escolha poética de hoje, um original de Fernando Pessoa enquanto Álvaro de Campos.

Arrumar a vida, pôr prateleiras na vontade e na acção. 
Quero fazer isto agora, como sempre quis, com o mesmo resultado; 
Mas que bom ter o propósito claro, firme só na clareza, de fazer qualquer coisa! 

Vou fazer as malas para o Definitivo, 
Organizar Álvaro de Campos, 
E amanhã ficar na mesma coisa que antes de ontem — um antes de ontem que é sempre...
 
Sorrio do conhecimento antecipado da coisa-nenhuma que serei...
Sorrio ao menos; sempre é alguma coisa o sorrir.

Produtos românticos, nós todos... 
E se não fôssemos produtos românticos, se calhar não seríamos nada.

Assim se faz a literatura... 
Santos Deuses, assim até se faz a vida! 

Os outros também são românticos, 
Os outros também não realizam nada, e são ricos e pobres, 
Os outros também levam a vida a olhar para as malas a arrumar, 
Os outros também dormem ao lado dos papéis meio com
postos, 
Os outros também são eu.
 
Vendedeira da rua cantando o teu pregão como um hino inconsciente, 
Rodinha dentada na relojoaria da economia política, 
Mãe, presente ou futura, de mortos no descascar dos Impérios, 
A tua voz chega-me como uma chamada a parte nenhuma, como o silêncio da vida...
 
Olho dos papéis que estou pensando em arrumar para a janela, 
Por onde não vi a vendedeira que ouvi por ela, 
E o meu sorriso, que ainda não acabara, inclui uma crítica metafisica. 

Descri de todos os deuses diante de uma secretária por arrumar, 
Fitei de frente todos os destinos pela distração de ouvir apregoando, 
E o meu cansaço é um barco velho que apodrece na praia deserta, 
E com esta imagem de qualquer outro poeta fecho a secretária e o poema. 

Como um deus, não arrumei nem uma coisa nem outra... 

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A Felicidade

Foi uma das minhas prendas de Natal e hoje partilho convosco o seu 1º single: A Felicidade, de Tom Jobim, cantada por Carminho, com votos de um 
feliz 2017 para todos.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O ano que aí vem...

2017 está quase aí e, como já vem sendo hábito por aqui, hoje faço um apontamento sobre algumas efemérides e curiosidades do novo ano.


“Greenery” é a cor pantone para 2017. A escolha foi assim explicada por Leatrice Eiseman, diretora executiva do Pantone Color Institute: "Greenery surge em força para 2017 como uma resposta à nossa vontade de, no meio de um cenário socio-político complexo, satisfazer um desejo cada vez maior de rejuvenescer, revitalizar e unir. Simboliza a procura de conecção com a natureza, uns com os outros e por um propósito maior.”

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a designação do ano 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável. A resolução aprovada a 4 de dezembro, reconhece “a importância do turismo internacional e, em particular, a designação de um ano internacional do turismo sustentável para o desenvolvimento, para promover uma melhor compreensão entre os povos em todas as partes, conduzir a que tome uma maior consciência da riqueza do património das civilizações e levar a uma melhor apreciação dos valores inerentes das diversas culturas, contribuindo assim para o fortalecimento da paz no mundo”.

O novo ano Chinês começará a 28 de janeiro de 2017 e terminará a 15 de fevereiro de 2018, e o seu animal regente será o Galo de Fogo.Por conta disso, é esperado que este novo ano seja repleto de coragem, honestidade e ambição, que são as características mais fortes deste animal. Cheio de oportunidades e novas ideias, o ano de 2017 promete ser um ano de escolhas decisivas.

Aarhus, a segunda maior cidade dinamarquesa, será a Capital Europeia da Cultura em 2017 .
Gondomar é a Cidade Europeia do Desporto
Lisboa será a Capital ibero-americana da Cultura.

Quanto a centenários:

- em Portugal, destaque para o Centenário das Aparições de Fátima;
- de nascimento: Ella Fitzgerald, cantora norte-americana faria os 100 anos a 25 de abril e Robert Mitchum, ator norte-americano celebraria os seus a 6 de Agosto;

- de falecimento: passam 100 anos sobre as mortes dos artistas franceses Edgar Degas (a 7 de setembro) e Auguste Rodin (a 17 de Novembro ). 

Finalmente, eis os Feriados de 2017:

  • 1 de janeiro – Dia de Ano Novo – domingo;
  • 14 de abril – sexta-Feira Santa;
  • 16 de abril – Páscoa – domingo;
  •                                25 de abril – Dia da Liberdade – terça-Feira;
  • 1 de maio – Dia do Trabalhador – segunda-Feira;
  • 10 de junho– Dia de Portugal – sábado;
  • 15 de junho – Corpo de Deus – quinta-Feira;
  • 15 de agosto – Assunção de Nossa Senhora – terça-Feira;
  • 5 de outubro – Implantação da República – quinta-Feira;
  • 1 de novembro – Dia de Todos os Santos – quarta-Feira;
  • 1 de dezembro –  Restauração da Independência – sexta-Feira;
  • 8 de dezembro – Dia da Imaculada Conceição – sexta-Feira;
  • 25 de dezembro – Natal – segunda-Feira.

UM FELIZ 2017 PARA TODOS!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Só a vida real é a melhor vida possível!

Curiosamente, o texto que hoje partilho convosco também é de um sacerdote jesuíta - Manuel Morujão- e intitula-se "Adeus à rotina"
Soube-me bem lê-lo porque tenho sentido, demasiadas vezes, nos últimos tempos, "o cansaço dos dias", o "peso da rotina", a aparente banalidade do quotidiano. 
E preciso mesmo lutar contra isso!!! 
Por isso, deste texto que hoje aqui vos deixo, realço as seguintes frases: "...Só a vida real é a melhor vida possível. Para isto precisamos de fazer uma campanha de desbanalização do quotidiano, superficial e rotineiro, para que tenha o frescor da novidade que atrai e seduz. Cada dia que nos entra em casa é uma estreia mundial, que devemos aproveitar da melhor maneira (...)A frescura da novidade, que afugenta a rotina, não vem de coisas grandiosas que tenhamos que fazer ou de cargos importantes que nos caiba exercer. Vem muito simplesmente de pôr amor nos nossos pensamentos, palavras e ações..."

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

A essência do Natal

Hoje partilho convosco um texto de Miguel Almeida, sacerdote jesuíta, cronista do Observador. 
Intitulado "Natal: das luzinhas ao essencial", é uma reflexão sobre aquilo que o Natal é e sobre aquilo que deve ser.
O texto é longo mas vale a pena ler até ao fim, porque está recheado de verdades que é importante relembrarmos, sob pena de nos ficarmos pela "magia" do Natal sem lhe reconhecermos a verdadeira alegria. 

domingo, 25 de dezembro de 2016

Porque é Natal...


...deixo-vos com este presépio*, igual ao que me habituei a ver em casa dos meus avós maternos, onde sempre passei a Consoada. 
Os meus avós já cá não estão, mas o presépio sim, bem como a restante família que continua a reunir-se lá em casa, para celebrar o Natal deste Jesus que sendo Deus quis ser homem como nós!

Santo Natal para todos!


* Presépio modelado em barro, policromado, constituído por quatro peças, da autoria de Maria Amélia Carvalheira (1904-1998)

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A nossa Fortaleza

Muito se tem falado da Fortaleza de Peniche nos últimos anos e, mais recentemente, pela sua inclusão e posterior retirada da lista de imóveis a serem intervencionados através do programa REVIVE. Opiniãos a favor e contra esta solução para a Fortaleza de Peniche fizeram-se ouvir nas redes sociais e através dos meios de comunicação. Agora é chegada a hora de se fazerem ouvir em local próprio: na próxima 4ª feira, 28 de dezembro, a Câmara Municipal e a Assembleia Municipal de Peniche promovem uma Reunião Pública para informação e audição de todos os interessados no futuro da Fortaleza de Peniche. Será às 21h00, no Auditório Municipal. Por mim, sobre este assunto, já dei a minha opinião há uns bons anos atrás, nos primórdios deste blogue...

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Luzes e sombras

Esta época do ano é propícia a balanços e a votos bons. Para além das tradicionais "Boas Festas" temos desejos de muito amor, paz e saúde para todos! A verdade é que sabemos bem que dificilmente assim será! Que, cada vez mais, por esse mundo fora, a maioria dos seres humanos vive sem amor, sem saúde e sem paz! 
Ora, nunca como este ano, senti esta inquietação tão forte: esta sensação de tristeza e temor pelos dias que se vivem e pelos que vêm aí. Bem sei que sempre houve guerra, violência, fome, injustiças, morte, doença e dor...Bem sei que sempre vai haver! E não as sinto mais por acontecerem em Berlim, Paris ou Madrid. Por isso nunca me viram publicar um "Je suis..." ou colorir o meu perfil com as cores da bandeira de outro país (sem menosprezo para quem o fez, que cada um sente as coisas à sua maneira). Vivemos num mundo simultaneamente belo e assustador, e temos cada vez mais noção disso! E não podemos ficar indiferentes! Paradoxalmente penso que bom seria que a minha veia otimista sobreviesse, e que me conseguisse alhear dos males do mundo  para viver - como noutros anos- a magia própria deste tempo do Natal, em que tudo parecia ganhar contornos de luz, esperança e harmonia. 
Mas a verdade é que este ano não me consigo sentir assim!  Mesmo não vendo os noticiários televisivos (que é o meu caso) é impossível não estar a par dos muitos cenários de guerra e terror espalhados pelo mundo. E temer que os próximos sejamos nós! E mesmo que isso não aconteça - e se Deus quiser, não acontecerá- não há como ficar indiferente a todo o sofrimento que grassa por aí! Independentemente da compreensão que tenhamos dos factos -e das posições que possamos ter acerca deles- o que sobressai é sempre o sofrimento de tantos que (na maioria das vezes) não tem culpa de nada: homens e mulheres, anciãos e crianças que são apanhados nos conflitos -nascidos de interesses que não são deles- dos quais não conseguem escapar.
Desculpem-me o post "negro" de hoje...deve ser influência da chegada do inverno e deste que é o dia mais curto do ano. A verdade é que esta inquietude não me agrada e tende a melhorar quando escrevo: sinto que o alinhavar das palavras me acalma e organiza o caos interior que sinto. Por isso, hoje decidi partilhar estas palavras...Sabendo de antemão que as palavras que escrevo servirão de pouco! O mundo vai continuar a ser um local escuro, mesmo que, a partir de hoje, no hemisfério em que habito, ganhemos uma hora de luz por dia! Noutras partes do mundo continuará a imperar a escuridão e a faltar a paz, o amor, a saúde, a harmonia, a esperança e a luz próprias deste Natal que - ironicamente, ou não!- no hemisfério em que habito, acontece no inverno!
Também sei que o verdadeiro Natal celebra o nascimento Daquele que disse ser "a Luz do Mundo" (Jo 8, 12)...e que, apesar de todas as sombras, como cristã, é minha missão acreditar nessa Luz e difundi-la...mesmo naqueles dias em que não consigo ver o lado bom da vida e naqueles dias (que também são muitos) em que sou egoísta, insatisfeita e ingrata!